Quanto o sistema educacional brasileiro foi influenciado por Paulo Freire?

EducaçãoHabilidades socioemocionais

Como desenvolver um ambiente adequado para a Aprendizagem Socioemocional

Como visto no texto anterior, o CASEL (Collaborative for Academic, Social and Emotional Learning) foi o órgão responsável por introduzir no ramo da educação, o termo “Aprendizagem Socioemocional” (ASE, ou do inglês SEL). Por considerar parte integrante da educação e do desenvolvimento humano, e após mais de 26 anos pesquisando, praticando e analisando dados quanto ao comportamento socioemocional de diversos alunos, a organização desenvolveu – através das evidências coletadas – a estrutura ideal para a aplicação da aprendizagem socioemocional:

 

Conhecida como “Roda CASEL”, a estrutura tem por objetivo desenvolver conhecimentos, habilidades e atitudes em cinco áreas de competências socioemocionais: Autoconhecimento, autorregulação, tomada de decisões responsáveis, habilidades de relacionamento e consciência social.

Nesta estrutura, percebemos diversas camadas, nas quais cada uma delas representa um passo específico para a aprendizagem socioemocional. É possível também perceber, que as 4 camadas presentes representam os locais onde os educandos vivem e crescem: As comunidades locais, as casas das famílias ou responsáveis, as escolas e as salas de aula.

Por fim, notamos que em cada camada, há um modo de como exercer a prática da aprendizagem socioemocional no ambiente específico: Oportunidades de aprendizagem alinhadas, parcerias efetivas, cultura, práticas e políticas escolares, e materiais com instrução direta para aprendizagem socioemocional e clima escolar, respectivamente.

Para compreender um pouco melhor o que cada camada representa, trouxemos um breve resumo elaborado pelo próprio CASEL:

Comunidades / Oportunidades de aprendizagem alinhadas: Os parceiros da comunidade muitas vezes oferecem ambientes seguros e ricos em desenvolvimento para aprendizagem, têm profundo entendimento das necessidades e ativos da comunidade, são vistos como parceiros de confiança por famílias e alunos e têm conexões com apoios e serviços adicionais de que a escola e as famílias precisam.

Os programas comunitários também oferecem oportunidades para os jovens praticarem suas habilidades socioemocionais em ambientes que são pessoalmente relevantes e podem abrir oportunidades para seu futuro. Para integrar os esforços da aprendizagem socioemocional durante o dia escolar e fora da escola, os funcionários da escola e os parceiros da comunidade devem se alinhar na linguagem comum e coordenar as estratégias e a comunicação em torno dos esforços e iniciativas relacionados à aprendizagem socioemocional.

Famílias ou responsáveis / Parcerias efetivas: Quando escolas e famílias formam parcerias autênticas, elas podem construir conexões fortes que reforçam o desenvolvimento socioemocional dos alunos. Famílias e cuidadores são os primeiros professores das crianças e trazem conhecimento profundo sobre seu desenvolvimento, experiências, cultura e necessidades de aprendizagem. Essas percepções e perspectivas são essenciais para informar, apoiar e sustentar os esforços da aprendizagem socioemocional.

A pesquisa sugere que os programas de aprendizagem socioemocional baseados em evidências são mais eficazes quando se estendem para o lar, e as famílias são muito mais propensas a formar parcerias com escolas quando as normas, valores e representações culturais de suas escolas refletem suas próprias experiências. As escolas precisam de processos de tomada de decisão inclusivos que garanta que as famílias – especialmente aquelas de grupos historicamente marginalizados – façam parte do planejamento, implementação e melhoria contínua da aprendizagem socioemocional.

As escolas também podem criar outros caminhos para a parceria familiar, que pode incluir a criação de comunicação bidirecional contínua com as famílias, ajudando os cuidadores a entender o desenvolvimento infantil, ajudando os professores a compreenderem as origens e culturas familiares, oferecendo oportunidades para as famílias serem voluntárias nas escolas, estendendo as atividades de aprendizagem e discussões para lares e coordenar os serviços familiares com os parceiros da comunidade. Esses esforços devem envolver as famílias na compreensão, experiência, informação e apoio ao desenvolvimento social e emocional de seus alunos.

Escolas / Cultura, práticas e políticas escolares: A integração efetiva da aprendizagem socioemocional em toda a escola envolve planejamento, implementação, avaliação e melhoria contínua por todos os membros da comunidade escolar. Os esforços da aprendizagem socioemocional contribuem e dependem de um ambiente escolar onde todos os alunos e adultos se sintam respeitados, apoiados e engajados.

Como o ambiente escolar inclui muitos contextos – salas de aula, corredores, refeitório, playground, ônibus – a promoção de um clima e cultura escolar saudáveis ​​exige o envolvimento ativo de todos os adultos e alunos. Uma forte cultura escolar está enraizada no sentimento de pertença dos alunos, com evidências que sugerem que ela desempenha um papel crucial no envolvimento dos alunos.

A aprendizagem socioemocional também oferece uma oportunidade de aprimorar os sistemas existentes de apoio ao aluno, integrando as metas e práticas da aprendizagem socioemocional com apoios acadêmicos e comportamentais universais, direcionados e intensivos. Ao coordenar e desenvolver práticas e programas de aprendizagem socioemocional, as escolas podem criar um ambiente que infunda a aprendizagem socioemocional em todas as partes da experiência educacional dos alunos e promova resultados sociais, emocionais e acadêmicos positivos para todos os alunos.

Salas de aula / Materiais com instrução direta para aprendizagem socioemocional e clima escolar: A pesquisa mostrou que a competência socioemocional pode ser aprimorada usando uma variedade de abordagens baseadas em sala de aula, tais como: (a) instrução explícita por meio da qual habilidades e atitudes sociais e emocionais são ensinadas e praticadas de maneira desenvolvente, contextual e culturalmente responsiva; (b) práticas de ensino, como aprendizagem cooperativa e aprendizagem baseada em projetos; e (c) integração da aprendizagem socioemocional com o currículo acadêmico, como artes da linguagem, matemática, ciências, estudos sociais, saúde e artes cênicas.

A instrução aprendizagem socioemocional de alta qualidade possui quatro elementos representados pela sigla SAFE: Sequenciado – segue um conjunto coordenado de abordagens de treinamento para promover o desenvolvimento de competências; Ativo – enfatizando formas ativas de aprendizagem para ajudar os alunos a praticar e dominar novas habilidades; Focado – implementação de currículo que enfatiza intencionalmente o desenvolvimento de competências aprendizagem socioemocional; e Explícito – definir e direcionar habilidades, atitudes e conhecimentos específicos.

O ensino da aprendizagem socioemocional é realizado de maneira mais eficaz em ambientes estimulantes e seguros, caracterizados por relacionamentos positivos e afetuosos entre alunos e professores. Para facilitar a instrução adequada à idade e culturalmente responsiva, os adultos devem compreender e apreciar os pontos fortes e as necessidades exclusivas de cada aluno e apoiar as identidades dos alunos.

Quando os adultos incorporam as experiências pessoais e as origens culturais dos alunos e buscam sua opinião, eles criam um ambiente de sala de aula inclusivo onde os alunos são parceiros no processo educacional, elevando sua própria agência. Relações fortes entre adultos e alunos podem facilitar o co-aprendizado, promover o crescimento de alunos e adultos e gerar soluções colaborativas para preocupações compartilhadas

fonte: https://casel.org/fundamentals-of-sel/what-is-the-casel-framework/

About author

Gustavo é graduado em Gestão Comercial, com pós-graduação em Habilidades e Competências Socioemocionais na Educação Básica e pós-graduação em Gestão Escolar, todas as graduações pela Universidade Positivo do Paraná. É CEO da Icapiedu. Plataforma gamificada que utiliza de uma metodologia socioemocional para realizar diagnósticos nas escolas e fortalecer o protagonismo dos alunos que sofrem com o bullying no ambiente escolar. Por fim, é um entusiasta por uma educação nacional de qualidade e com a cara do Brasil.
Postagens relacionadas
Educação

O processo de aprendizagem segundo a Epistemologia Genética e a perspectiva da Psicologia histórico-cultural

EducaçãoNovas Tecnologias

Metodologia STEAM: 6 dicas para implementar em sua escola

EducaçãoGestão Escolar

José Pacheco e sua contribuição para a educação no Brasil e no mundo

Gestão EscolarHabilidades socioemocionaisNovas Tecnologias

Habilidades socioemocionais incorporada em todas as disciplinas

Inscreva-se em nossa Newsletter e
mantenha-se informado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Vale a pena ler...
Big Five e as Competências e Habilidades Socioemocionais
Are you sure want to unlock this post?
Unlock left : 0
Are you sure want to cancel subscription?